domingo, 5 de dezembro de 2010

O Santuário da Certeza...

Matéria escrita na edição do Jornal Meta em Brasília-

O Santuário da Certeza
Estamos no ano 13.300 antes de Cristo.Pode ser também 15.500, não tem importância.Situados nas margens do rio Nilo, no deserto de Gobi, nas estepes siberianas ou talvez nas adjacências do Titicaca , poderia ser também no Maigreb,próximo do Tassili ou no Iucatão. Pode ser conforme as teorias do suíço Erick Von Danniken,que muitos acontecimentos estranhos já tivessem ocorrido na Terra;que uma civilização muito adiantada já tivesse pousado no orbe.Pode ser que um continente lendário não fosse lendário e que a Atlântida tivesse de fato submergido e que um outro a Lemúria, há alguns milênios, já houvesse desaparecido em consequência de um montruoso cataclismo ou, quem sabe? em decorrência de uma hecatombe nuclear. Pode ser que alguns povos se lembrassem de uma época em que outros seres não humanos,porém inteligentes, haviam convivido com os homens; semideuses titãs,pigmeus,harpias e dragões.Pode ser que o homem vivesse num mundo de decadência e de aberrações,assim como poderá acontecer em 2.400 caso não haja uma grande modificação na estrutura mental do ser humano.
A humanidade era constituída pelos remanescentes de uma civilização em que os habitantes do Seara,eram os que melhor se lembravam dos tempos anteriores ao grande desastre.Outros povos como os de Tiauanuco e os do centro do Brasil, que tinham cidades importantes no Piauí,Goiás e Mato-Grosso, haviam se transformado em pequenas tribos que perambulavam a êsmo pelos campos e florestas. Na África,nada mais existia que lembrasse o contato dos povos negros com aquelas naves mecânicas dos atlantes; tudo havia adquirido uma feição primitiva, onde aquelas técnicas de ativação de poderes da mente se transformaram em surperticiosa feitiçaria.Poderia também ter acontecido que no seio de alguns povos, em redutos afastados das multidões ,certos grupos de homens de ciência,tivesse resguardado alguns conhecimentos sobre a cultura da remotíssima antiguidade e que através de processos cuidadosamente herméticos, iam sendo transmitidos de geração em geração com a finalidade de que "num certo dia ", pudessem ser novamente utilizados para a reorganização dos povos através de um trabalho recivilizador. Este grupo,claramente, não poderia deixar de se constituir no "recipiendário"de uma ciência e de uma filosofia totalmente desconhecida pela "massa", sistemas e princípios que se firmavam inconcebíveis para a grande maioria, interpretações da realidade completamente diferente daquelas induções próprias do intelecto ,a se desenvolver livremente consoante o acumulo das causas apreendidas.
Esta hipótese,que encontra sólida sustentação na unicidade simbólica das lendas e dos mitos universais, por si só explicaria a origem da doutrina esotérica em bases "puristas" e justificaria os critérios populares sobre o fato dos magos terem sido guadiães de uma sabedoria trazida de "outro mundo".
Mas pode ser também, que tudo isto não passe de uma grosseira fantasia; pode não ter o mínimo fundamento e que há 13.825 ou 13.119 anos a espécie humana não fosse mais do que a soma daquelas criaturas que, para se distinguir dos outros animais, apenas conhecia o fogo e alguns instrumentos de pedra. E desenhava bisões nas paredes das cavernas pensando atraí-los com isto, em suas caçadas.
Uma coisa porém é indiscutível: se o pensamento dos povos no que se refere ao progresso, tanto material como mental atravessou etapas sucessivas de desenvolvimento, sempre foram registrados os aparecimentos de homens de mentalidade superior à sua época ,guias iniciais de clãs que ofereceram os fatores primordiais para ascensão das ideias, das técnicas e das fórmulas de culto.
A História de quase todos os povos se fundamenta sempre num idealizador inicial, num deus viajeiro de terras distantes. Esta constatação sem dúvida,evidencia que sempre existiu um "círculo de iniciadores". A análise das teogonias nos leva sempre à apreciação de que todos utilizaram a mesma diretriz de ação. No âmago do fenômeno do aparecimento dos primitivos "senhores da terra", o mesmo processo de intuição de uma classe sacerdotal iniciada, portadora de uma cultura então estranha, e aplicadores de uma compulsão ética no seio das populações.Mais ainda o conceito de governo não estava dissociado do conceito da liderança eclesiástica;a teocracia era absoluta porque também as ciências então rudimentares como a medicina,arquitetura e escrita, se encontravam somente nas mãos dos grão senhores dos templos.
A dialética moderna tem confundido a manifestação do espírito religioso com a origem da religião. É certo que a mente humana experimentou uma fase animista(quando admitiu a presença de um elemento não material inerente ao material) e um período magista quando admitiu que poderia ,com a imaginação, exercer influência sobre os acontecimentos, fases que aliás, se revelam no comportamento da criatura ainda hoje, na transição da infância para a juventude. Houve certamente uma transformação das disposições de culto(do animismo ao totemismo) mas o trabalho verdadeiramente organizador do que "devia ser cultuado",foi obra consciente daqueles que haviam transcendido o pensamento geral dos clãs, daqueles que meditando um pouco mais, ou recebendo instruções de quem os podia informar, se encarregaram de erguer os altares e codificar os princípios de alcance ético e socialmente operativos.
Houve povos e ainda os há que nunca chegaram a possuir uma religião;as formas de culto, não chegando a ser digeridas por um mestre , entraram em processo de dissolução, chegando a desaparecer por completo. E não é só o aspecto religioso.Todos os "progressos",técnico, artesanal, artístico, sempre tiveram entre os povos primitivos, a motivação religiosa.Ora, ainda hoje, existem muitas tribos(hoje, "quando o Homem já atingiu a lua"!) - que vivendo em seu isolamento, não conseguiram ultrapassar o neolítico. Por que? Não tem o selvagem segundo os racionalistas é o fator do desenvolvimento humano? Por que povos como os da Nova Guiné e da Austrália, constituído por milhares de pessoas, não conseguiram romper as barreiras do primitivismo e galgar por si mesmos a trilha do progresso?Afinal como dizem os dialétas não tem eles os mesmos elementos endógenos que os outros povos utilizaram?Não experimentaram o mesmo contato com a natureza que realiza as chamadas " causas aprendidas"?Por que sòmente em dois pontos da Terra - No Oriente Médio e no centro asiático - com inclusão do norte da China - e talvez num terceiro ponto da América pré-histórica, nós encontramos as primeiras e autênticas raízes da civilização?
Aqui a interpretação consequente:quem civilizou o mundo não foi o cérebro humano ativado por si mesmo de vez que ele só aprendeu a aprender depois que alguém ou "alguma coisa"ensinou...

QUE É PROGRESSO?
O engenho humano dissociado das FONTES DO ESPÍRITO é uma supinpa balela.E aqui, podemos compreender também a superfluidade da tese que invoca astronautas de outras galáxias para se apresentarem como civilizadores da Terra. Será que ninguém percebe que essa teoria só transfere, mas não resolve o problema da evolução da consciência?Ora, se os astronautas eram profundamente adiantados a ponto de terem vindo a Terra com sua naves espaciais, onde teriam haurido tal ciência,tal tecnologia?Certamente Os defensores dessa tese,teriam que dizer que eram oriundas de civilizações de outras Galáxias e que teriam sido levadas àquelas por outros astronautas.Ora bolas!E quem transmitiu a ciência e a técnica àqueles que civilizaram o tal Planeta de outra Galáxia?
Por que não se pode perceber que se há uma fonte universal de conhecimentos(pois alguém,inicialmente teria que usa-la)não poderia ser diretamente oferecida ao ser humano da Terra?
Pode ser que tenham vindo astronautas à Terra, mas uma coisa não exclui outra. Que o progresso é sempre transmitido, isto é verdade, mas a questão não se situa no geográfico ou no astronômico, o problema é ontológico.É claro que os alunos podem se transformar em professores,mas onde está o mestre inicial?Evidentemente no ESPÍRITO DO UNIVERSO que tanto "anima" o Homem terrestre como poderia animar um marciano ou um galaxiano de Andrômeda ou sabe-se lá de onde...
"Descobrir o Espírito"foi a grande tarefa dos primeiros iniciadores.Pensar em evolução sem a admissão de um fator transcendente, indutor da evolução, aludir a um aprimoramento de idéias, sem se admitir um fator aprimorante; um refinamento da sensibilidade sem a existência de um transcendental fator de aprimoramento, é pensar, é falar como cego para as regras elementares da lógica, é raciocinar como fanático de uma unilateralidade.
As Fontes do Espírito só podem ser duas:O próprio espírito de alguém que, sozinho,descobre verdades que os outros não conhecem(por intuição) ou as informações, chegadas de alguém que, faz as mesmas descobertas pelo mesmo processo.Em linguagem mágica:só pode proporcionar o progresso aquele que dá passividade ao verbo.
Que verbo?-a indefinível atividade criadora do espírito de alguém que realiza a descoberta da sua realidade em si mesmo; a voz misteriosa, conhecida por uns poucos, a qual os próprios não sabem se é sua ou se vem de fora e que determina: poder fazer uso da sua imaginação por que eu estou aqui para regulá-la.
Quando a imaginação for absurda, haverá uma advertência;quando a imaginação for harmônica podemos dizer siga esta diretriz!
"faça a tua parte que eu te ajudarei"
Citamos o
Verdadeiro progresso;que seria?
De certo, o oposto desta caminhada que talvez pudesse conduzir a humanidade a algum lugar, se conhecessemos a estrada pela qual passar e se houvesse de fato a certeza de um fim de jornada. Não havendo uma coisa nem outra, o que conhecemos é o falso progresso, o progresso imaginário ou quando muito o progresso indefinido.
Que é progresso?Ter hoje o que não tínhamos ontem?A construção da hidrelétrica pelo operário que não poderá pagar sua conta de luz?A pílula anticoncepcional na mão da mocinha "quente "ou ainda os automóveis comprados com o financiamento das "Caixas Econômicas"?
O verdadeiro progresso só pode ser aquele que pertence ao Espírito, porque só o Espírito compete a tarefa de criar o progresso.
Confundimos progresso com as modificações de algumas estruturas sociais em decorrência do avanço dos recursos técnicos e do condicionamento ideológico imposto às multidões por "condicionadores condicionados",eruditos e eloquentes.Certamente só os grandes mestres da sabedoria e da compaixão foram autênticos criadores do progresso.Inicialmente emprestaram o conhecimento que faltava as multidões para que sempre que fosse necessário, pudesse surgir do seu seio uma nova doutrina popular que minorasse as aflições coletivas e fomentasse novos entusiasmos capazes de dar surgimento a outros mestres e outros iniciadores.
Ao criar as religiões, também os mestres foram condicionadores porém absolutamente conscientes, ao contrário do que ocorre hoje.Eram homens identificados com a concepção infinita e a dinâmica da verdade, que compreendendo o sono da humanidade, se empenharam em traduzir em símbolos,dogmas,lendas e rituais, tudo aquilo que percebiam no santuário do Espírito.
Gênese natural do esoterismo e da magia aplicada.
Compreendendo a imensa fragilidade de conceptiva das multidões, dissociadas do interesse que não o instintivo,a espantosa falta de sentido de quem nascia,vivia e morria sem saber porque e para que, a incrível ingenuidade de uma espécie entregue a imaginações confusas por demais apegadas a libido da Terra, que fizeram? Adaptaram! sitetizaram em formúlas simples aquilo que é inatingível pelo intelecto muito menos,pelas induções instintivas;em suma :realizaram a fé para substituir a falta de alcance, o temor para contrabalançar a pobreza de sentimentos e a piedade para sugerir o verdadeiro amor.

(Alódio Továr)

terça-feira, 30 de novembro de 2010

De Que São Feitos os Dias? -Cecília Meireles

De que são feitos os dias?
- De pequenos desejos,
vagarosas saudades,
silenciosas lembranças.
Entre mágoas sombrias,
momentâneos lampejos:
vagas felicidades,
inatuais esperanças.
De loucuras, de crimes,
de pecados, de glórias
- do medo que encadeia
todas essas mudanças.
Dentro deles vivemos,
dentro deles choramos,
em duros desenlaces
e em sinistras alianças

Cecília Meireles

sábado, 27 de novembro de 2010

COISAS QUE A VIDA ENSINA DEPOIS DOS 40-Artur da Távola

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...

Artur da Távola

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

É PRECISO APRENDER A SER ZEN...A Vida como um Piquenique


TEXTO DO DIA - A VIDA É COMO UM PIQUENIQUE


A vida é como um piquenique em uma tarde de domingo - ela não dura muito tempo. 
Só olhar o sol, sentir o perfume das flores ou respirar o ar puro já é uma alegria. 
Mas se tudo o que fazemos é ficar discutindo onde pôr a toalha, quem vai sentar em que canto, quem vai ficar com o peito ou a coxa do frango..., que desperdício! 
Mais cedo ou mais tarde o tempo fecha, a tarde cai e o piquenique acaba. E tudo o que fizemos foi ficar discutindo e implicando uns com os outros. 
Pense em tudo que se perdeu.
Você pode estar se perguntando: se tudo é impermanente, se nada dura, como pode alguém viver feliz? 
É verdade que não podemos, de fato, agarrar ou nos segurar às coisas, mas podemos usar esse conhecimento para olhar a vida de modo diferente, como uma oportunidade muito breve e rara. 
Se trouxermos à nossa vida a maturidade de saber que tudo é impermanente, vamos ver que nossas experiências serão mais ricas, nossos relacionamentos mais sinceros, e teremos maior apreciação por tudo aquilo que já desfrutamos.
Também seremos mais pacientes. 
Vamos compreender que, por pior que as coisas possam parecer no momento, as circunstâncias infelizes não podem durar. 
Teremos a sensação de que seremos capazes de suportá-las até que passem. 
E com maior paciência seremos mais delicados com as pessoas a nossa volta. 
Não é tão difícil manifestar um gesto amoroso quando nos damos conta de que talvez nunca mais estaremos com a nossa tia-avó. 
Por que não deixá-la feliz? 
Por que não dispor de tempo para ouvir todas aquelas histórias antigas?
Chegar à compreensão da impermanência e ao desejo autêntico de fazer os outros felizes nesta breve oportunidade que temos juntos, constitui o começo da verdadeira prática espiritual. 
É esse tipo de sinceridade que efetivamente catalisa a transformação em nossa mente e em nosso ser.
Não precisamos raspar a cabeça nem usar vestes especiais. 
Não precisamos sair de casa nem dormir em uma cama de pedras. 
A prática espiritual não requer condições austeras - apenas um bom coração e a maturidade de compreender a impermanência. Isso nos fará progredir.

Texto de Chagdud Tulku Rinpoche, em "Portões da Prática Budista

domingo, 14 de novembro de 2010

Maravilhoso Drumond- Desejo de Você.

Desejo a você

Carlos Drummond de Andrade



Desejo a você...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor

Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

POESIA, FAZ A VIDA SER MAIS LEVE!!!

GRATIDÃO


Na doce paz em que me encontro agora,
cheia de amor,cheia de claridade
Eu não mais choro a mocidade
Nem relembro a dor de outrora!

Já não me importa o pátrio chão,
nem o lar que deixei um dia,
Não tenho lágrimas de agonia,
Nem saudades no coração"

Se padeci no meu exílio,
Se a lembrança me atormentou,
Bendito foi o meu martírio,
Porque ao céu me LEVOU
E se sorrio em meio a luz,
Se finalmente DEUS encontrei,
A quem devo,bem o sei
Foi ao mestre JESUS!
(obra mediunica realizada por Alódio Továr em Goiânia em 18-05-58)
Carlos Kaé -psicografado por Alódio Továr)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

PESSOAL DE OLHO NA AUTO ESTIMA!!!


O que é auto-estima?
É a opinião e o sentimento que cada pessoa tem por si mesma.

O que é auto-estima?
É ser capaz de respeitar, confiar e gostar de si. Você está de bem com seu corpo? Saiba agora se está dentro peso saudável.
Melhor caminho para o autoconhecimento: diálogo interno
*Características da baixa auto-estima:
- insegurança
- inadequação
- perfeccionismo
- dúvidas constantes
- incerto do que se é
- sentimento vago de não ser capaz de realizar nada >> depressão
- não se permite errar
- necessidade de: agradar
aprovação
reconhecimento

O que diminui a auto-estima?                                                        
- críticas e autocríticas
- culpa
- abandono
- rejeição
- carência
- frustração
- vergonha
- inveja
- timidez
- insegurança
- medo
- humilhação
- raiva
- e, principalmente: perdas e dependência (financeira e emocional)

Quando começa a se formar
Na infância. A partir de como as outras pessoas nos tratam. Quando criança pode-se alimentar ou destruir a autoconfiança. Auto-estima baixa geralmente está relacionada a falsos valores. Crença que é necessária aprovação da mãe ou pai.Para elevar a auto-estima é preciso:
- autoconhecimento
- manter-se em forma física (gostar da imagem refletida no espelho)
- identificar as qualidades e não só os defeitos
- aprender com a experiência passada
- tratar-se com amor e carinho
- ouvir a intuição (o que aumenta a autoconfiança)
- manter diálogo interno
- acreditar que merece ser amado(a) e é especial
- fazer todo dia algo que o deixe feliz. Pode ser coisas simples como dançar, ler, descansar, ouvir música, caminhar.

Resultados da auto-estima elevada
- mais à vontade em oferecer e receber elogios, expressões de afeto
- sentimentos de ansiedade e insegurança diminuem
- harmonia entre o que sente e o que diz
- necessidade de aprovação diminui
- maior flexibilidade aos fatos
- autoconfiança elevada
- amor-próprio aumenta
- satisfação pessoal
- maior desempenho profissional
- relações saudáveis
- paz interior
Por:
Rosemeire Zago
Psicóloga clínica com abordagem jungiana, especialização em psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento e ministra palestras motivacionais.
Fonte: http://cyberdiet.terra.com.br/


As 10 dicas para elevar a AUTO-ESTIMA .
1º Harmonize seu lar
Abra portas e janelas e comece uma limpeza. Inicie pelo guarda-roupa e armários, tire tudo e só guarde o que está realmente precisando. O resto, elimine da melhor forma que encontrar (doando, vendendo etc.). Faça isso em todas as dependências da casa ou escritório. Lembre-se, só fica o necessário! Roupas e objetos que estão sem uso perdem a função vital, bloqueando o fluxo de energia do meio ambiente. A falta dessa energia ou a energia parada adoece a casa, você e sua família. Faça isso periodicamente e com a consciência de que também estará fazendo uma faxina emocional.

2º Coma bem.
Respeite os momentos das refeições. Preste atenção no que está fazendo. Não assista TV e nem marque negócios para essa hora. Evite falar sobre problemas. Acalme-se, olhe para o seu prato e lembre-se: o que está ingerindo irá para o interior das suas células e será parte de você, tanto física como mentalmente. Seu corpo é 100% natural, uma alimentação artificial é incompatível com a sua natureza. Evite também alimentos de base animal, pois eles levam uma vida inteira sendo maltratados, principalmente no momento do abate. Todas essas emoções como o medo, o desespero, a tristeza, ficam em forma de energia negativa impregnadas nas carnes que você está ingerindo.

3º Preste atenção em você.
Perceba os seus pensamentos. Ao longo do dia você tem milhares de pensamentos negativos e positivos. Você não é os seus pensamentos, mas eles têm uma enorme força sobre a sua vida. Se você tem mais pensamentos negativos, isto demonstra que você é uma pessoa negativa, sua vida vai mal e as pessoas e situações que você atrai também estão na mesma freqüência de negatividade. Você pode mudar a sua vida, mudando a qualidade de seus pensamentos. Quanto aos negativos, você não poderá eliminá-los, mas poderá tirar as suas forças, cultivando os positivos e os elevados. Enquanto você presta atenção no que está pensando, já tem maior autocontrole sobre a energia mental e conseqüentemente sobre sua vida. Procure ler frases de afirmações positivas e biografias de pessoas bem sucedidas. Mas quando o pensamento negativo lhe assaltar a mente, repita por sete vezes: "este pensamento não tem força sobre mim". Com o tempo você perceberá que no jardim existem rosas e espinhos e que a felicidade é!
um presente para quem observa as rosas e a tristeza os espinhos.

4º Tenha objetivos.
Tenha objetivos materiais e espirituais. Busque sempre melhorar a sua condição financeira, planeje comprar bens, faça investimentos, realize viagens e busque tudo que tiver vontade, mas lembre-se: nunca dependa dessas conquistas para viver emocionalmente bem. Elas não podem garantir isto! O verdadeiro Bem-Estar só é alcançado por meio dos objetivos espirituais. Vá à conquista de se tornar uma pessoa mais paciente, bondosa, serena, confiável e amiga, além de humilde, aberta, sincera e simples e, principalmente, uma pessoa que tenha fé e confiança na vida. Esses objetivos, e só esses, podem garantir o equilíbrio, a satisfação e a razão de viver.

5º Faça exercícios.
Escolha um exercício que lhe agrade, caminhar, dançar e nadar são os mais recomendados. Os exercícios estimulam o fluxo de energia vital, gerando além de um melhor condicionamento físico, uma ótima sensação de bem-estar. A prática de exercícios bioenergéticos como o yoga, o tai ch'i chuan, a dança do ventre entre outros, é fundamental para o equilíbrio do corpo e da mente. O mais difícil é tomar a decisão de começar. Mas depois de 21 dias de exercício, ou prática, o cérebro registra como um hábito e tudo fica mais fácil.

6º Utilize seus talentos.
Você tem dons e talentos. Descubra quais são eles e comece a colocar em prática. A saúde física e emocional depende muito desses talentos. Pessoas que não utilizam essa energia criativa, bloqueiam o seu fluxo energético e adoecem física e emocionalmente. Canalize seus talentos com o propósito de melhorar a vida das pessoas. Este é um excelente caminho para encontrar prazer, equilíbrio e crescimento em sua vida.

7º Medite, medite e medite.
A meditação é a medicina do corpo e da mente mais poderosa do mundo. Além de terapêutica é a melhor ferramenta para o crescimento pessoal e espiritual. Preste muita atenção: aprendendo a meditar você descobre a diferença do que é ou não importante para sua vida, com isto se torna uma pessoa mais segura e objetiva. Com a meditação você cura seu corpo, melhora a memória e concentração, desperta a intuição e a percepção. Você se torna uma pessoa mais disposta e produtiva, mais agradável e serena. A forma de meditar é muito particular de cada pessoa. Existem muitas técnicas e rituais. Cada um deve praticar da maneira que se sentir melhor. Procure um livro, um curso ou um mestre, mas procure, pois a meditação vai melhorar muito a sua vida, pois vai fazer você encontrar a pessoa mais importante do mundo: você mesmo!

8º Aceite a vida .
Pare já de reclamar. Volte sua mente para o que a vida oferece de bom. Aceite viver nesse planeta azul, e curta a viagem da melhor maneira possível. Lembre-se que ela tem fim, então faça bom proveito. Ajude ao próximo, seja uma pessoa sincera, alegre e procure trabalhar com amor. Aceite sua casa e seus bens. Aceite as pessoas como elas são e, principalmente, se aceite como você é, seu corpo, sua personalidade. Mas aceitar não significa se acomodar com os problemas e dificuldades da vida. Devemos buscar a força para mudar o que podemos mudar, e a aceitação para o que não se pode ser diferente.

9º Visite a natureza.
Coloque essa meta em sua vida. Pelo menos uma vez por mês, faça uma visita à mãe natureza. Ela tem o poder de purificar as células e acalmar o espírito. O mar neutraliza as energias negativas e recarrega o campo eletromagnético (aura). As cachoeiras ativam a vida celular e também energizam a aura, além de hidratar a pele e os cabelos. O verde ativa o processo interior de autocura, tanto física como emocional. Pisar descalço na terra descarrega as energias negativas. E não se esqueça, você é parte da natureza e deve estar em harmonia com ela se quiser manter ou recuperar a qualidade de sua vida.

10º Converse com Deus.
Os gregos espiritualistas evitavam dizer o nome de Deus, pois achavam seu vocabulário muito limitado para expressar a grandeza Dele. Então todas as vezes que tinham que falar sobre Deus usavam a expressão o TODO. Aprenda estar em sintonia com o TODO, que está ao redor e, principalmente, dentro do seu coração. A melhor forma? Fica a seu critério, o importante é desejar que isso aconteça.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A ÚNICA JOIA- TAGORE

    Atravessando o deserto,um viajante viu um árabe sentado aos pés de uma palmeira.A pouca distância  repousava seus cavalos, pesadamente carregados com valiosos objetos.
    Aproximou-se a ele e disse:
   -Parece muito preocupado.Posso ajudar-vos em alguma coisa?
   -Ah! respondeu o árabe, com tristeza:Estou muito aflito porque acabo se perder a mais preciosa de todas as jóias.
   -Que jóia era essa? perguntou o viajante.
   -Era uma jóia,respondeu o seu interlocutor, como jamais haverá outra.Estava talhada num pedaço se "pedra da vida" e tinha sido feita na oficina do tempo.Adornavam-na vinte quatro brilhantes em volta dos quais agrupavam sessenta menores. Já vereis que tenho razão em dizer que jóia igual jamais poderá reproduzir-se.
   -Por minha fé, disse o viajante, a vossa jóia devia ser preciosa.Mas não será possível que com muito dinheiro se possa fazer outra igual?
   -A jóia perdida-respondeu o árabe, votando a ficar pensativo era um dia e um dia se perde e não se torna a encontrar.
(R.Tagore)
Aproveite cada momento de sua vida fazendo coisas interessantes que te façam vibrar dentro do caminho do bem.  

terça-feira, 6 de julho de 2010

ACRÓSTICO-CONSCIÊNCIA

CONSCIÊNCIA


 Cósmica" a consciência é
 Onde adjetivos e atributos são dispensáveis!
 Não é preciso um acréscimo ao superlativo-pois
 Sem querer - a consciência é a divindades!-mas
 Caminhando nas veredas da existência,o
 Inquieto homem,olvida de si mesmo,se
 Esquecendo também de se lembrar!- A
 Consciência dorme e o homem vive o "endosso"
 Indispensável da moral mumificada e da
 Atarantada visão condicionada!

domingo, 30 de maio de 2010

UM RECADO ESPETACULAR...!!! PARA REFLETIR...






UMA DIGRESSÃO TRANSCENDENTAL.

A luta dos povos...discórdia,incompreensão...
Homem contra homem, desamor...exploração...
Quais os reiais motivos de um sertão pobre
Não admitir amor ou razão que o dobre?
Por que não para a injustiça nessa Terra
E a violência,na expansão,virando guerra?
De que valeu a luz do verbo Universal
Manifestada em Jesus Cristo,tão real?
O esforço de Sidharta: Buda-O iluminado
Dizendo ao Homem a essência do sagrado?
São Francisco,Ramakrishna,Mestre Mória
Ou Krishnamurti criticando a história?
 Não valeu!...O Homem ser condicionado
Não se conhece e portanto é condenado
 A nunca assimilar qualquer verdade
Que contrarie a sua estúpida vaidade.
No máximo o que abraça é um fanatismo
Que mais incha o seu tonto egocentrismo.
Porque o homem sempre acha a "luz contrária"
Que faz a alma à harmonia,refratária?
Tentemos pois uma real "psicosofia"
Singularmente sob a forma de poesia,
Uma atrevida "experiência brasileira"
De alguém liberto porque trabalhou a eira:
"O Homem Ego" ,"Homem -ser condicionado"
Tem por base "entender" mal situado
Pois a dádiva da vida -ele imagina
Fruto do acaso ou de uma obrigação divina
Ninguém pensa:Tudo é o desconhecido
E Deus ,é disto mesmo, o sentido!
Todos querem alardear a ´sua fé
Sem meditar sobre a clareza do que é:
O senso místico,real,é só, no entanto
O espanto ao escutar o interno canto
Que diz:"Liberta-te da luz imaginária
Que te ilude em sapiência  temporária.
"Tu nem sabes-ninguém sabe-a realidade
Esta apenas no saber esta verdade:
"O HAVER AS COISAS É EM SI TODO O MILAGRE
(Deus é o termo que explica este milagre)"
Mas..O Homem acha que tem de ser assim
Que o EXISTIR PROVÉM DE UM OBRIGATÓRIO "SIM"
Não percebendo que era bem mais natural
Que nada houvesse-nem real nem ideal...
(Dizer o indizível é coisa que faz bem,
Esforço da cabala,da Ioga e do zen).
Perguntariam:o que tem o "sibilino"
A ver com a História de um país e seu destino?
Eis aí!...tem tudo a ver pois " o agora"
É um projeto da luz da antiga hora
O ser humano é tempo e espaço reunidos,
E um povo - o atual dos fatos idos.
Brasil como um telúrico cadinho
Tem na estrutura a explicação e o caminho
E é possível extrais do seu modelo
O equilíbrio para além do cerebelo.
Tudo aqui indica d"alma a efervecência
A busca eterna do "alargar a consciência"
Pois sempre fomos também ,alvo da ganância
E dos ardis que sustentam a ignorância.
Sempre sofremos a doença da intriga,
Da verdade, a ferrenha inimiga...
Contrapondo-se ao ditado zombeteiro
De que Deus,afinal é brasileiro,
O diabo armou aqui um parapeito
Para lutar e liquidar como "o nosso feito".
O Brasil como esperança de concórdia
É visado pelos demos da mixórdia;
Além dos gringos com seus jogos malabares,
A perfídia dos nativos calabares...

(Trecho retirado do livro Brasil 500 anos do autor Alódio Továr)

domingo, 9 de maio de 2010

DESPERTAMENTO!!!!

Há realmente homens despertos e homens adormecidos.Aqueles constituem uma ínfima minoria e além do mais,são quase todos anônimos e as vezes ,até inconscientes de seu estado de vigília.
Homens dormindo e homens acordados!
Aparentemente simples,aparentemente claro,porém existe um enigma.Afinal:Quem somos nós?Que é fundamentalmente o ser humano,considerado como um "EU"?
Essa coisa que pensa,sente,sofre,goza,sonha,duvida,crê,ama,odeia?
Nada mais nada menos que "um processo"contínuo de acumulação *mnemônica.
Deixemos aqui o aparentemente óbvio e procuremos compreender que somos,no dia de hoje,tudo o que aconteceu nos dias passados.Psícologia elementar "man non tropo".
Nossa maneira de ser não é mais do que a resultante dos acontecimentos transformados em memória,quer no nível consciente quer no inconsciente.
Dizemos que adotamos princípios, fórmulas ou crenças porque passaram pelo crivo da nossa razão.Que razão?"Nossas razões", evidentemente,são nossos limites próprios de visualizar as coisas,limites forjados pelo grau de experiência que cada um tem na vida.Uma criatura erudita,terá por certo um arquivo de memória mais vasto do que aqueles que pouco estudaram,mas isso não significa , necessariamente,que essa cultura ofereça maior razão do que a dos outros.Poderiam ser citados exemplos,mas para que exemplos?Quem não sabe que muitos homens despreparados possuem extraordinário bom senso e que muitíssimos intelectuais se revelam como "Quadradíssimos",quando tratam de estabelecer posições filosóficas frente às realidades da vida?
A verdadeira razão independe do intelecto,independe do nível cultural das pessoas,e a pouca atenção que se tem dado a essa particularidade do mundo da mente muito tem contribuído para o retardamento da madrugada do verdadeiro entendimento da vida.As escolas formam excelentes técnicos e ótimos juristas,mas não formam Homens Integrados na Realidade,e por homens integrados deve-se compreender não o homem inteligente e culto, mas o homem que sabe amar,que sabe sentir o que passa no seu próprio e no intimo dos que o rodeiam.
Eis ai:na linguagem das tradições mágicas ficou estabelecida uma distinção entre individualidade e a personalidade.A primeira constitui a criatura mesmo,a personalidade,todo o acumulo intelectual e emocional modulado sobre a individualidade.
A individualidade,em nossa atual maneira de viver,praticamente não aparece em ninguém,porque somos tão condicionados,vivemos tão alimentados por ideias que nos vem de fora, que tudo o que poderia brotar de dentro de nós é logo bloqueado por uma recusa inconsciente,fruto de uma autodefesa personal.Estamos individualmente-de tal maneira adormecidos que a confiança que poderíamos depositar em nosso próprio espírito se transformou em uma caricatura do que em linguagem comum se chama vaidade.As sugestões de amor e paz que nos chegam da nossa razão/coração ,são sempre bloqueadas pelo nosso empenho em seguir o comportamento geral e se transformar em egoísmo

(Texto do livro "introdução ao Pensamneto Mágico"-Autor-Alódio Továr)

*Mnemônica=Referente a memórias

sábado, 24 de abril de 2010

Um pouco de Poesia!!


 Caminho das Águas




A princípio os rios caudalosos ,
São regatos perfumados pela mata
A procura dos vales radiosos,
Onde os sol se torna ouro e a lua prata.



Muitas vezes, no entanto as águas boas,
Infelizes no cumprir a eterna busca
Surpreendidas de forma triste e brusca,
Se perdem nos charcos e lagoas.



Também no nascedouro o coração,
Os sentimentos nascem puros cristalinos,
À procura da sagrada integração,
No estuário dos sonhos mais divinos.

Mas, na trajetória dos nervos igualmente,
Quantas vezes na hora mais fremente
Os ideais que criamos com tanta emoção
Não vão morrer no pantanal da frustração!


Alódio Továr

sábado, 13 de fevereiro de 2010

MECANICIDADE...DOENÇA PSICOSSOCIAL!!!!







TESE DE MESTRADO NA USP por um PSICÓLOGO

 Achei muito interessante esse teste , que demonstra o grau de mecanicidade em que as pessoas vivem hoje...infelismente isso é uma realidade que entristece...


'O HOMEM TORNA-SE TUDO OU NADA, CONFORME A EDUCAÇÃO QUE RECEBE'

 'Fingi ser gari por 8 anos e vivi como um ser invisível'




Psicólogo varreu as ruas da USP para concluir sua tese de mestrado da
'invisibilidade pública'. Ele comprovou que, em geral, as pessoas
enxergam apenas a função social do outro. Quem não está bem posicionado
sob esse critério, vira mera sombra social.

Plínio Delphino, Diário de São Paulo.

O psicólogo social Fernando Braga da Costa vestiu uniforme e trabalhou
oito anos como gari, varrendo ruas da Universidade de São Paulo. Ali,
constatou que, ao olhar da maioria, os trabalhadores braçais são 'seres
invisíveis, sem nome'. Em sua tese de mestrado, pela USP, conseguiu
comprovar a existência da 'invisibilidade pública', ou seja, uma
percepção humana totalmente prejudicada e condicionada à divisão
social do trabalho, onde enxerga-se somente a função e não a pessoa.
Braga trabalhava apenas meio período como gari, não recebia o salário de
R$ 400 como os colegas de vassoura, mas garante que teve a maior lição
de sua vida:

'Descobri que um simples bom dia, que nunca recebi como gari, pode
significar um sopro de vida, um sinal da própria existência', explica o
pesquisador.

O psicólogo sentiu na pele o que é ser tratado como um objeto e não
como um ser humano. 'Professores que me abraçavam nos corredores da USP
passavam por mim, não me reconheciam por causa do uniforme. Às vezes,
esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedir desculpas, seguiam me
ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelhão',
diz.
No primeiro dia de trabalho paramos pro café. Eles colocaram uma
garrafa térmica sobre uma plataforma de concreto. Só que não tinha
caneca. Havia um clima estranho no ar, eu era um sujeito vindo de outra
classe, varrendo rua com eles. Os garis mal conversavam comigo, alguns
se aproximavam para ensinar o serviço. Um deles foi até o latão de lixo
pegou duas latinhas de refrigerante cortou as latinhas pela metade e
serviu o café ali, na latinha suja e grudenta. E como a gente estava num
grupo grande, esperei que eles se servissem primeiro. Eu nunca apreciei
o sabor do café. Mas, intuitivamente, senti que deveria tomá-lo, e
claro, não livre de sensações ruins. Afinal, o cara tirou as latinhas de
refrigerante de dentro de uma lixeira, que tem sujeira, tem formiga, tem
barata, tem de tudo. No momento em que empunhei a caneca improvisada,
parece que todo mundo parou para assistir à cena, como se perguntasse:
'E aí, o jovem rico vai se sujeitar a beber nessa caneca?' E eu bebi.
Imediatamente a ansiedade parece que evaporou. Eles passaram a conversar
comigo, a contar piada, brincar.

O que você sentiu na pele, trabalhando como gari?
Uma vez, um dos garis me convidou pra almoçar no bandejão central. Aí
eu entrei no Instituto de Psicologia para pegar dinheiro, passei pelo
andar térreo, subi escada, passei pelo segundo andar, passei na
biblioteca, desci a escada, passei em frente ao centro acadêmico, passei
em frente a lanchonete, tinha muita gente conhecida. Eu fiz todo esse
trajeto e ninguém em absoluto me viu. Eu tive uma sensação muito ruim. O
meu corpo tremia como se eu não o dominasse, uma angustia, e a tampa da
cabeça era como se ardesse, como se eu tivesse sido sugado. Fui almoçar,
não senti o gosto da comida e voltei para o trabalho atordoado.

E depois de oito anos trabalhando como gari? Isso mudou?
Fui me habituando a isso, assim como eles vão se habituando também a
situações pouco saudáveis. Então, quando eu via um professor se
aproximando - professor meu - até parava de varrer, porque ele ia passar
por mim, podia trocar uma idéia, mas o pessoal passava como se tivesse
passando por um poste, uma árvore, um orelhão.

E quando você volta para casa, para seu mundo real?
Eu choro. É muito triste, porque, a partir do instante em que você está
inserido nessa condição psicossocial, não se esquece jamais. Acredito
que essa experiência me deixou curado da minha doença burguesa. Esses
homens hoje são meus amigos. Conheço a família deles, freqüento a casa
deles nas periferias. Mudei. Nunca deixo de cumprimentar um trabalhador.
Faço questão de o trabalhador saber que eu sei que ele existe. Eles são
tratados pior do que um animal doméstico, que sempre é chamado pelo
nome. São tratados como se fossem uma 'COISA'.


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

FOME DE AMOR!!! CARÊNCIA...

Arnaldo Jabor e mais uma dentro

Estamos com fome de amor...
(JORNAL O DIA! Arnaldo Jabor)

O que temos visto por ai ???
Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes.

Com suas danças e poses em closes ginecológicos, cada vez mais siliconadas, corpos esculpidos por cirurgias plasticas, como se fossem ao supermercado e pedissem o corte como se quer... mas???

Chegam sozinhas e saem sozinhas...
Empresários, advogados, engenheiros, analistas, e outros mais que estudaram, estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos...
Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos "personal dancer", incrível.

E não é só sexo não!

Se fosse, era resolvido fácil, alguém dúvida?
Sexo se encontra nos classificados, nas esquinas, em qualquer lugar, mas apenas sexo!
Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho, sem necessariamente, ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico na cama ... sexo de academia . . .

Fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçadinhos,
sem se preocuparem com as posições cabalisticas...
Sabe essas coisas simples, que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.
Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção...
Tornamo-nos máquinas, e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós....
Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada nos sites de relacionamentos "ORKUT", "PAR-PERFEITO" e tantos outros, veja o número de comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra viver sozinho!"
Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários, em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis, se olharmos as fotos de antigamente, pode ter certeza de que não são as mesmas pessoas, mulheres lindas se plastificando, se mutilando em nome da tal "beleza"...

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento, e percebemos a cada dia mulheres e homens  com cara de bonecas, sem rugas, sorriso preso e cada vez  mais sozinhos...
Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário...
Pra chegar a escrever essas bobagens?? (mais que verdadeiras) é preciso ter a coragem de encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa...
Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia isso é julgado como feio, démodê, brega, familias preconceituosas...

Alô gente!!! Felicidade, amor, todas essas emoções fazem-nos parecer ridículos, abobalhados...

Mas e daí?  Seja ridículo, mas seja feliz e não seja frustrado...
"Pague mico", saia gritando e falando o que sente, demonstre amor...
Você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais...

Perceba aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, ou talvez a pessoa que nada tem haver com o que imaginou mas que pode ser a mulher da sua vida...E, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois...
Quem disse que ser adulto é ser ranzinza ?

Um ditado tibetano diz: "Se um problema é grande demais, não pense nele...  E, se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele?"
Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo, assistir desenho animado, rir de bobagens e ou ser um profissional de sucesso, que adora rir de si mesmo por ser estabanado...
O que realmente, não dá é para continuarmos achando que viver é out... ou in...
Que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo, que temos que querer a nossa mulher 24 horas, maquiada, e que ela tenha que ter o corpo das frutas tão em moda, na TV, e também na playboy e nos banheiros, eu duvido que nós homens queiramos uma mulher assim para viver ao nosso lado, para ser a mãe dos nossos filhos....

Queira do seu lado a mulher inteligente: "Vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois, ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida"...

Porque ter medo de dizer isso, porque ter medo de dizer: "amo você", "fica comigo", então não se importe com a opinião dos outros, seja feliz!
Antes ser idiota para as pessoas que infeliz para si mesmo!

Para ler, divulgar e . . . praticar !
Queridos amigos, espero que vocês gostem da mensagem acima. Acho que a experiência sempre é interessante, acrescenta muito a todos nós, mesmo aqueles que julgam não precisar de "conselhos".
Espero que leiam, divulguem e principalmente pratiquem!!!
Desejamos uma ótima e produtiva semana para todos vocês!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Texto-"Não saber": Plataforma da Sabedoria



"Não saber":Plataforma da Sabedoria

O Homem acha e sempre achou que "as coisas são só e só poderiam ser assim mesmo", quero dizer: não ocorre a quase ninguém, indagar sobre as raízes daquilo a que nos acostumamos a chamar de "realidade",essa realidade costumeira, feita de sóis e planetas, corujas e formigueiros, postes de ferro,sonetos e pedrinhas no sapato;a realidade mesmo,a realidade pura e simplesmente,somatória de todas as coisas , objetivas e subjetivas.
Ninguém pergunta para si mesmo:Que coisa estranha é esta em que me encontro como parte?...A vida e o existir, o cenário que envolve a minha presença...os laços de minha consciência e do meu coração?...

De um modo geral já temos respostas fabricadas ou pelos religiosos,pelos filósofos ou pelos cientistas.
Em cada esquina existe alguém que se considera dono da verdade, naturalmente acompanhado por um círculo de pessoas que lhe dá endosso.

Que me perdoem os "convictos":a questão não é tão simples assim.

O "Ser" poderia "Não Ser",como refletiu Shakespeare.Vou mais adiante e constato Maeterlink, o poeta das abelhas:"O grande segredo é que tudo é segredo".E Krishnamurti:"A realidade é o desconhecido".

Analiso primeiro o cotidiano:vejo,ouço coisas,cores,ruídos e sons.

A luz! que coisa incrível a presença das formas! meu coração que bate mais depressa diante dos olhos de alguém especial,de um amor.

Francamente, não vejo a coerência entre esse cotidiano e os absurdos de um comportamento humano caracterizado pelo egoísmo e pelo medo.

Parece que o nosso senso de avaliar as coisas se comporta como os dispositivos de uma câmera fotográfica: ao captar as imagens nítidas que se encontram no plano do cotidiano,perdemos o foco do plano transcendental,sendo verdadeira e recíproca.Gênese de um dualismo fantástico,onde o pessimista através da imaginação,projeta suas idéias negativas sobre o real e quando o idealista fanático propõe o acanalhamento do mundo material, só porque, pretensamente se julga numa torre de marfim.

Muita gente fica escandalizada com as considerações acerca de outras possíveis "realidades",além daquela que conhecemos através dos sentidos.Alusões aos universos paralelos,aos planos metafísicos da linguagem teosófica como o "astral" ou o "devachan",referência ao hiperespaço, às bruxas voadoras ou ao "gnomo de chapéu vermelho" são logo taxados de"extravagâncias anticientíficas".

O interessante, porém ,é que muitos dos próprios defensores dessa tese de ocultismo, não sabem que o único argumento verdadeiramente válido em favor de suas asserções ,reside no fato de que supostas realidades inabituais , também chamadas "sobrenaturais" não são nem mais nem menos estranhas do que a nossa realidade conhecida.

Pedro Bloch, o nosso admirável teatrólogo, já disse em certa oportunidade que "O sobrenatural só seria sobrenatural se pudéssemos explicar o natural do natural"...

O empirismo sensorialista do homem sem profundidade epistemológica.(Epistemologia-Ciência dos modos de conhecer),é que cria as generalizaçõe sobre a indiscutibilidade do chamado "real".

O Homem pode possuir um acervo enorme de conhecimento sobre o universo em que vivemos,pode até ser um criador de universos, através da criação de conceitos,mas nada sabe a respeito da "Razão de Ser" das coisas,porque,basicamente,não se conhece a si mesmo.

É claro que perguntas complexas podem ser formuladas e também respostas simplíssimas podem ser oferecidas, como por exemplo,as que partem do pensamento científico,pretendendo ser filosófico,ou as do pensamento filosófico,pretendendo ser científico.

Da mesma forma, como a "realidade" nada tem de simples , o processo da história humana também não é nada fácil de ser explicado, porque na verdade,os caminhos da chamada evolução,bem poderiam ter sido outros;assim como a culminância da cultura,que é a civilização,bem pode ser um equívoco...um erro de planejamento ou a consequência de um acidente cósmico.

A busca da realidade que culmina na sabedoria,não deve ser tentada sobre afirmações conceituais.Ela começa no instante em que adquirimos consciência dos nossos condicionamentos;momento em que as "certezas"começam a se desmanchar diante da imensidão do desconhecido que se descortina diante da nossa inteligência liberdade!

Alódio Továr

EXPERIÊNCIA...

Eu sorria em certo dia, lá na rua do luar
Quando minha alma de repente começou a chorar.
A menina que ao meu lado, ao milagre olhava
Ficou toda molhada com o molhado da lágrima.
Por que seria? -Pensei que no pecado
A ânsia me invadia, logo a mim que me julgava
Um exemplo de Liberdade da alma?
Seria o preço da ambiguidade, o salário da licença?
A Revelação da perversão da razão do oculto epicurista?
A princípio imaginei ante o íntimo desdouro
Que a verdade e a poesia, fossem falir em meu tesouro,
Pois eu pensei naquele dia que havia
Um torpe inseto dentro de mim
Gerado pelo incerto da alegria
Em contradição com a nostalgia.
E como o sonhador que quando acorda a sonhar continua.
Eu quis me libertar do luar da rua
Pretendendo em abrupto acorde de resistência
Eliminar o pecado e a incoerência,
Incoerência da - a moral,conforme a consciência,
Falta de estética ética, segundo o mundo.
Mas..que seria,refleti pensando em ti,
A realidade do meu anseio, amada?
O retrocesso do confesso ou a parada do processo?
Qual o verdadeiro da tragédia?
(tragédia ou comédia?)
Em qual depositar a fé?
No que chorando é o que pode ser
Ou no que sendo austero,
 pretende ser o que não é?
(Alódio továr)

POSTAGEM EM DESTAQUE

Krishnamurti-Conhecimento com Essência Real