segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

'PÁTRIA MADRASTA VIL'-Redação que ganhou o concurso da UNESCO-concorrendo com 50.000 redações!!!

 

Onde já se viu tanto excesso de falta?
Abundância de inexistência...
Exagero de escassez...
Contraditórios?
Então aí está!
O novo nome do nosso país!
Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.
Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta
de  caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de  escassez de responsabilidade.
O Brasil nada mais é do que uma  combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de  contradições.
Há quem diga que 'dos filhos deste solo és mãe  gentil', mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe.
Pela definição que eu conheço de MÃE, o  Brasil, está mais para madrasta vil.
A minha mãe não  'tapa o sol com a peneira.'
Não me daria, por exemplo, um lugar na  universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.
E mesmo há  200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me  restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe  não iria querer me enganar, iludir.  Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse  efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação  pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela  falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa.
A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a  minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade.
Uma segue a outra...
Sem nenhuma contradição!
É disso que o  Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem  esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam  hipócritas, mudanças que transformem!
A mudança que nada muda é  só mais uma contradição.
Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos,  mas não ensinam a pescar.
E a educação libertadora entra aí.
O povo está tão paralisado pela ignorância que  não sabe a que tem direito.
Não aprendeu o que é ser cidadão.
Porém,  ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade:  nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático  do Estado não modificam a estrutura.
As classes média e alta - tão confortavelmente  situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar  (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)...
Mas estão elas preparadas para isso?
Eu  acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de  dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos,  possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.
Afinal, de  que serve um governo que não administra?
De que serve uma mãe que não afaga?
E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona? Talvez o sentido de nossa própria existência esteja  ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo.
Cada um por todos.
Algumas perguntas,  quando auto-indagadas, se tornam elucidativas.
Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil?
Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil?
Ser tratado como cidadão ou excluído?
Como gente... Ou como  bicho?


Premiada pela UNESCO, Clarice Zeitel Vianna Silva,  26, estudante que termina Faculdade de Direito da UFRJem julho,  concorreu com outros 50 mil estudantes universitários. Ela acaba de voltar  de Paris, onde recebeu um prêmio daOrganização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO)por uma  redação sobre 'Como vencer a pobreza e a desigualdade.'A  redação deClariceintitulada'Pátria Madrasta Vil',foi incluída  num livro, com outros cem textos selecionados no concurso.
A  publicação está disponível no site da
Biblioteca Virtual da  UNESCO.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Clarividência da Realidade...



Há atualmente um descontentamento geral, há o desequilíbrio ecológico, as ambições internacionais,o desprezo a tudo que provém dos mananciais superiores do espírito verdadeiro.
A decadência religiosa tem sido evidente e  há tantos outros fatores desorganizadores das estruturas atuais.
Há sim  um avanço tecnológico fantástico, um progresso material , dirigido por um mecanismo econômico sofisticado.O homem correu em busca de um alvo, mas o que houve foi um descontentamento interno , as causas são apontadas como consequência de explosão demográfica, a improdutividade dos países subdesenvolvidos, a ambição de super potências e etc... alguns se apegam a interpretações apocalípticas, dizem que o mundo experimenta algo já profetizado há milênios!!!

Os jovens se mostram  descrentes das promessas ocas das mentalidade pragmática, descrentes dos exemplos negativos do passado e vão alicerçando as suas esperanças apenas sobre o inesperado,enquanto ensaiam um comportamento ético da irreverência,  ou então vão aos poucos se enquadrando na experiência do erro, legado pelas gerações espiritualmente superadas.
Pois há falta de homens não apenas cultos ou experientes, mas permeados da verdadeira consciência de que a existência é com certeza uma fase de aprendizado na escola da eternidade.
Sem a atenção voltada para os aspectos superiores do pensamento e do sentimento, será impossível para a humanidade superar essa crise atual...
Vamos utilizar esse espaço na rede para elucidar cada vez mais as pessoas que estiverem nessa sintonia de busca de algo mais consistente perante a jornada existencial.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Os Iludidos de Babel...




A pretensão dos post-adâmicos no sentido de construir uma enorme torre (Babel com betume e adobes) para conquistar o céu,constitui uma alegoria  notável sobre a incapacidade  do homem moderno para compreender  que o objetivo da existência nada tem a ver com as loucuras de uma civilização preocupada  com o "progresso" definido em bases puramente materiais.
   O hedonismo,ou seja, a atitude humana de usufruir a oportunidade da vida segundo as bases de um materialismo comportamental certamente representa  um desvio evolutivo, uma deformação do atavismo teotrópico(impulso em direção a Deus à suprema Realidade),cujas causas,embora insólitas e complexas numa análise restrita,podem,no entanto,através de uma visualização genérica,serem apontados como de ordem epistemológica, ou seja motivadas por um processo de entropia ou de bloqueio circustancial dos elementos da mente humana que tem função de criar a realidade através da compatibilização do mundo objetivo com a sensibilidade subjetiva.
   O grande drama do Homem moderno consiste  fundamentalmente na sua condição de fascinado pelas ideologias (doutrinariamente definidas ou aleatoriamente estruturadas pelo condicionamento coletivo)e pelas sentenças científicas sem o apoio da percepção de profundidade que é a meta dedutiva a supra- experimental, significa apenas uma culminância de verificação de princípios de causa e efeito de dentro uma determinada ordem fenomenal,mas não significa a constatação final de uma verdade.
   Este fato coloca o Homem numa situação em que o sentido das coisas pode variar de alfa a ômega ,em que a realidade do mundo assume formas como as de um kaleidoscópio:as mesmas pedrinhas de vidro,ou seja, as mesmas visões  do conhecimento não superado,as mesmas idéias, os mesmos conceitos, os mesmos preconceitos,as mesmas dúvidas e ansiedades e o mesmo desamor criando figuras diferentes;milhares de seitas, doutrinas, ideologias políticas, sistematizações econômicas, sincretizações esotéricas ou sabe Deus mais o que ,propondo normas de conduta e "métodos de condução em massa";a nova torre de Babel onde iludidos  e ilusionistas jactando-se da eficácia de suas formulas mágicas se arvoram em salvadores e profetas,mas que na visão serena  de Cristo não passam de"cegos procurando guiar outros cegos".
   "Perdoai-lhes Pai, não sabem o que fazem"       É lógico que o "back-ground" ou "fundo psicológico"de cada ser humano é puramente circuntancial quando não acidental.As convicções de cada pessoa são determinadas pelas suas próprias  experiências existenciais.Uma constatação da psicologia elementar.Cada um é no íntimo a somatória de todos os momentos passados transformados em memória,quer no nível consciente quer no inconsciente.A "bagagem" de cada ser humano é simplesmente o seu turbilhão interior formado pelo acervo do aprendizado intelectual mais as emoções memorizadas que diuturnamente afloram em forma de "sensações".
   Isto significa que cada Homem é o seu próprio limite,ou melhor dizendo:cada um é o limite, ou melhor dizendo:cada um é o limite de si mesmo.Consequência imediata;se o Homem não se transcender a si mesmo criará  sempre uma sociedade caracterizada pelos entrechoques  das aspirações egocêntricas, já que o egocentrismo é a revelação de cada limite personalizado.
   Poderia alguém argumentar afirmando  que "além das influências do meio",fixadas no complexo psíquico,o Homem deve ser dotado do Espírito da Alma, do super ego, do eu real,ou seja lá o nome que se queira dar ao elemento estruturador da individuação.
   Claro que é dotado,porque,do contrário,de onde viriam as fulgurações daquela coisa que se chama consciência e que realmente está acima da intelectualidade e da emocionalidade!
   É justamente aí onde  se encontra o ponto nevrálgico de toda a problemática do Homem moderno no seu bêco sem saída deste fim de milênio.É aí que tem cabimento a alegoria esotérica  sobre o "fim da era de peixe" e "início da era de aquário".
   No conteúdo da simbologia clássica cuja a razão de ser consiste na revelação "mágica" da analogias e correspondências universais o ser humano está intimamente conotado com o elemento"peixe" e principalmente com o "aquário".
   "Aquário" simbológicamente tem o mesmo sentido de "copas" o "Graal","cálice da eucaristia".Na análise das origens  emblemáticas do Tarot que foi a síntese mais profunda da simbologia da remota antiguidade,COPAS corresponde também,em relação com os quatro elementos alquímicos (ar,água,terra,fogo) ao elemento água,e água por sua vez,com relação as quatro figuras da esfinge(homem,águia,touro,leão)é o elemento que corresponde a imagem do Homem.
   Traduzindo da linguagem simbológica para a linguagem usual,os significados de PEIXE e AQUÁRIO constatamos(é lógico que dentro de uma exposição simplista e genérica pois não dispomos de espaço e condições  para maiores detalhes)que PEIXE é o contido e AQUÁRIO o que contém.Assim,o Homem da era de peixe é o homem "telúricamente consciente"isto é,o ser inteligente que visualiza as coisas segundo a sua condição de ente contido dentro de si mesmo e em função de seu meio envolvente;o Homem da era de aquário é cósmicamente consciente,ou seja é o homem que visualiza as coisas segundo o seu conhecimento de si mesmo(da sua realidade contida)e da consciência de que o plano físico(universo material)é apenas "uma das muitas moradas de meu Pai".
   Somente no "cálice"(ou aquário)pode existir a comunhão;só o ser humano cônscio de si mesmo(evolutivamente na era de aquário)e consequentemente identificado com a natureza e a super natureza(eu e meu pai somos um),poderá restabelecer para o mundo os eflúvios da verdadeira eucaristia ,o amor divino no coração dos homens, e só este amor poderá construir o que todos estão ansiosamente a procura:"a felicidade".
perspectivas.
   Se até o início da Chamada "era científica" que pode ser determinada pelo momento em que o ser humano adquiriu controle(não conhecimento final) sobre as quatro forças mágicas da natureza(eletricidade,magnetismo,energias intra-moleculares e energias intra-atômicas)o Homem pôde se manter consciente dentro da sua própria inconsciência(não é um paradoxo se entendermos a relação peixe-aquário)o mesmo não pode acontecer daqui por diante, porque se acontecer o homem fatalmente destruirá a terra e a si mesmo.
   Estabelecida uma situação em que o conhecimento e as técnicas capazes de alterar a ecologia planetária ,passaram a se constituir em elementos comerciáveis, ou seja,quando o pecado contra o Espírito Santo(o ultraje a natureza e aos valores transcendentais do homem)passou a ser praticado em larga escala ,será difícil - a não ser pelo despertamento de um número suficientes de "mutantes de aquário",será extremamente difícil evitar-se o agravamento dos choque de retorno provocados pela inconsequência profana.
   É por isso que os homens de Espírito aberto são agora chamados pela própria vida para a obra de reconstrução do Templo;e é por isso também que os iludidos de Babel são intimados a compreender pelo próprio sofrimento,gerado pela crise ,que a erudição não significa consciência,que a identificação com uma religião qualquer ou uma ideologia, não significa integração com o império da razão ou da verdade;intimados a compreender que o céu não pode ser tomado de assalto com adobe e com betume.  
  
TEXTO DE ALÓDIO TOVÁR
       

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

SIMPLESMENTE CURANDO!!!: GEOTERAPIA-TRATANDO COM ARGILA.

SIMPLESMENTE CURANDO!!!: GEOTERAPIA-TRATANDO COM ARGILA.: O PODER DE CURAR QUE HÁ NA TERRA VEM DA ENERGIA QUE ESSE ELEMENTO CONSEGUE TER. A TERRA POSSUI A CAPACIDADE DE NEUTRALIZAR VENENOS POR TER ...

textos, fotos, vídeos, músicas, notícias etc.

sábado, 17 de setembro de 2011

Não espere pelo epitáfio



Há uma frase que é sempre proferida, quase beirando um chavão, quando, em determinadas circunstâncias, se deseja cobrar de alguém uma postura direta, uma posição explícita ou, até, uma atitude clara: Deus vomitará os mornos! Essa ameaça vale também quando se quer amedrontar aqueles ou aquelas que seguem pela vida afora sem nunca se aproximar minimamente dos extremos, ficando sempre no ansiado ou proclamado como seguro “caminho do meio”, evitando-se, assim, qualquer risco de transbordamento ou ruptura da prudência.
Deus vomitará os mornos! Está lá no Apocalipse (último livro da Bíblia dos cristãos), capítulo 3, versículos 15 e 16: “Conheço tuas obras: não és frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Mas, porque és morno, nem frio nem quente, estou para vomitar-te de minha boca”.
Essa admoestação colide frontalmente com um dos pilares da moral greco-romana desde a Antiguidade e que impregna com intensidade a moral do cotidiano: a virtude está no meio. Tal princípio, nascido como teoria completa no século 4º a.C., a partir da obra “Ética a Nicômaco”, de Aristóteles, anuncia, três séculos após, um ideal de moderação e uma referência de tranquilidade expressos por um relato da mitologia trazido nas “Metamorfoses”, do poeta latino Ovídio. Conta ele que Hélios (o Sol) tivera um filho, Faêton, com Climene, mas não acolheu a criança; quando Faêton cresceu, foi em busca do reconhecimento do pai, que, tendo-o aceito, ofereceu como presente qualquer coisa que o rapaz desejasse. O pedido do jovem foi poder guiar o carro de Hélios, que antes o advertiu com a obrigação de manter-se equidistante do céu e da terra, dizendo-lhe que “pelo meio irás com a máxima segurança”. Como o filho não o atendeu, desequilibrando e desviando o Sol, Zeus interveio e liquidou Faêton com um raio.
Ora, há dezenas de mitos, fábulas e histórias com a finalidade de exaltar a exclusividade e preferência do caminho do meio; o que não se deve esquecer é que esse caminho pode também ser o da mediocridade. Em nome da sobriedade, da prudência e do comedimento, o máximo que se obtém em muitas situações é a mornidão mediana, regrada e constantemente refreada.
Nesse sentido, para não ser morno, é preciso ser radical. Cuidado! Em nosso vocabulário usual é feita uma oportunista confusão entre radical e sectário. Radical é aquele, como lembra a origem etimológica, que se firma nas raízes, isto é, que não tem convicções superficiais, meramente epidérmicas; radical é alguém que procura solidez nas posturas e decisões tomadas, não repousando na indefinição dissimulada e nas certezas medíocres. Por sua vez, o sectário é o que é parcial, intransigente, faccioso, ou seja, aquele que não é capaz de romper com seus próprios contornos e dirigir o olhar para outras possibilidades.
É preciso ter limites, mas estará o limite exatamente no meio? Não é necessário ir até os extremos, mas é essencial não ficar restrito ao confortável e letárgico centro. Muitas vezes, o meio pode ficar anódino, inodoro, insípido e incolor. Alguns desses desejos de romper fronteiras mornas só aparecem nos epitáfios, sempre em forma nostálgica e lamentadora de um “eu devia ter…”. Para além da mitologia grega, não é por acaso que outros Titãs têm sido tão festejados quando cantam de forma deliciosa e perturbadora (e muitos com eles): “Devia ter amado mais, ter chorado mais, ter visto o sol nascer; devia ter arriscado mais e até errado mais, ter feito o que eu queria fazer…”.
A sabedoria para equilibrar essas inquietações pode ser encontrada na reflexão feita no século 5º a.C. pelo filósofo chinês Confúcio: “Eu sei por que motivo o meio-termo não é seguido: o homem inteligente ultrapassa-o, o imbecil fica aquém”.
Radicalidade é uma virtude; o vício está na superficialidade.
                                                                          Mário Sérgio Cortella
Crônica tirada do livro -"Não espere pelo epitáfio"

domingo, 14 de agosto de 2011

Texto- A Felicidade e a Razão de Ser da Existência...


...Não se cuida mais dos valores simples da existência:a delicadeza emocional e a pujança de sentimentos.O que se quer é o progresso imaginário,ou quando muito,progresso indefinido.Nossa observação aos princípios e ao dinamismo da natureza é intelectualmente profunda, mas ninguém jamais conseguiu provar que o intelecto possa realizar a felicidade. Pelo contrário:quanto mais o cientificismo proclama a necessidade dos "engenhos para uma vida melhor",  mais se enormiza a carência de novas soluções e novas necessidades; quanto mais se planeja e se estabelecem os processos para melhorar as relações entre os homens e as nações,  maiores se apresentam os desentendimentos e as possibilidades de uma desavença universal.
   Individualmente vivemos uma época em que mais do que nunca, as pessoas desconfiam da sua capacidade própria para alcançar a felicidade. Condicionados por uma "superentidade", que se corporificou através da comunicação fácil das ideias vazias ou negativas, o homem, perdendo a sua bússola interior, vive hoje às apalpadelas, em busca de um conceito mínimo que lhe estabeleça uma razão de ser. A "razão de ser", todavia, não aparece. E enquanto procuram onde não poderão encontrar, os corações vão se despedaçando pelo caminho, semeando frustrações cada vez mais profundas e, com elas a irreverência pelas vida, a perda da sensibilidade afetiva, única criadora da real tranquilidade interior e consequente alegria de viver.
As sociedades modernas, como todo mundo sabe, quer quando vestidas de branco, quer de verde ou vermelho, são muito mais máquinas a serviço de interesses ideológicos ou de ambições econômicas, do que qualquer outra coisa, como por exemplo,comunidades humanas dedicadas ao usufruto do tesouro da existência. Os fortes agindo com a condição de fortes e os fracos ambicionando ser fortes, dão existência ao fantasma da competição que é uma outra "superentidade", substanciada pela inconsciência da realidade!
Vivemos em função de espantalhos que nós mesmos fabricamos, em desespero, fazemos esforços para criar sistemas que nos livrem deles...
  As anomalias psicológicas que curiosamente, vão se destacando nos mais variados setores do comportamento do Homem, são um atestado e quiçá, uma advertência para que novos caminhos sejam tentados pela pesquisa do espírito, novas sendas onde talvez  se possa encontrar um reduto de mais segurança para o futuro: uma paisagem filosófica onde a alma humana possa se libertar dos violentos turbilhões provocados pelo choque de retorno de sua ação inconsequente...

(Trecho do livro "Introdução ao Pensamento Mágico)
(Alódio Továr-Meu pai-dia dos pais-14/08)


quarta-feira, 22 de junho de 2011

Palavras que enobrecem a alma...

A primeira vista,
o mundo parece uma multidão de solidões amontoadas,
todos contra todos, salvem-se quem puder,
mas o sentido comum, o sentido comunitário,
é um bichinho duro de matar.
A esperança ainda tem quem a espere,
alentada pelas vozes que ressoam desde nossa origem comum
e nossos assombrosos espaços de encontro.
Eu não conheço felicidade maior que a alegria
de  reconhecer-me nos demais.
Talvez essa seja, para mim, a única imortalidade digna de fé.
Reconhecer-me nos demais,
reconhecer-me em minha pátria e em meu tempo,
e também  me reconhecer em mulheres e homens
que são meus compatriotas,nascidos em outras terras,
e reconhecer-me em mulheres e homens que são meus contemporâneos,
vividos em outros tempos.
Os mapas da alma não tem fronteiras.

Eduardo Galeano

terça-feira, 3 de maio de 2011

Passagens do Sermão da Montanha...Explicação Clara...

"Bem aventurados os pobres pelo espírito"-
Essa afirmação é as vezes confusa , como devemos ser pobres pelo espírito se buscamos a evolução espiritual, é o entendimento necessário é que muita vezes falta, a compreensão verdadeira da afirmação veja como fica claro com essa explicação.
Atenção: Os pobres pelo espírito ou seja pobres segundo o espírito, ou seja desapegados dos bens terrenos não pela força compulsória das circunstâncias, mas pela espontaneidade da renuncia.
Não há nada demais em ser rico e nem em ser pobre há virtude alguma .
A liberdade interna é que faz a diferença- é preciso saber que todo o problema é saber ultrapassar a fraqueza e a insegurança do Ego e entrar na força e segurança do Eu.

"Bem- aventurado  os mansos"-
Compreenda, esse manso a qual o mestre se refere é o homem que encontrou o seu eu divino e que é necessariamente manso.Isto é ele substitui toda forma de violência, física ou mental pela força do espírito.
Afasta a violência do campo astral, de magias buscadas no dia a dia, não corre atrás de efeitos ilusórios.
O seu poder é interno, de seu forte espírito, é a  força da suavidade.
A simpatia é uma emanação dessa força unida com a verdade e o amor

"Bem aventurado os misericordiosos"
São as pessoas que amam e compreendem o próximo com suas fraquezas, ignorâncias, doenças e confusões.
E então procura aliviar os sofrimentos, trazer luz aos pensamentos, fortalecer os espíritos.
O homem do mundo na maioria é demasiado social, o místico é silenciosamente solitário mas o  crístico é dinamicamente solidário, ajuda sempre o outro com ações, bens, palavras enfim com o que dispor.
Ser bom é diferente de fazer o bem, alguém pode fazer bem sem ser uma pessoa boa.
Quem espera recompensa pelo bem praticado é egoísta, mesmo que espere reconhecimento ou gratidão.O homem crístico está livre de qualquer espírito mercenário, trabalha por amor, com alegria.Ele é indiferente aos vivas ou vaias.

"Bem aventurados os tristes"
Não significa que tenhamos que estar a todo momento tristes, não é isso.
A pessoa  que tem a consciência reta e sincera e que está  em busca de algo real e verdadeira com certeza é profundamente alegre, calmo, feliz mas externamente lhe acontecem coisas que o entristecem. Ao observar o mundo e as pessoas que vivem nele e suas atitudes sem nenhuma cristificação, ou seja sem nenhum amor ao próximo, ações com violência, com desrespeito, sem ética e todo tipo de barbaridade tudo isso entristece essa pessoa que mesmo equilibrada em seu interno fica indignada com o ser que habita esse planeta sem a menor noção do que seja a vida real.

"Vós sois a luz do mundo"
A vida do homem cósmico é pura como
a luz na sua  solidão mística- e é fecunda como
a luz, na sua solidão crística
Brilhe diante dos homens a vossa luz!!!

"Contemplai os lírios do campo como crescem"...


O Quinto Evangelho-(Huberto Rodhen)

terça-feira, 26 de abril de 2011

SOS GAIA CONSCIENTE: ECOETRIX VIVENCIA NA MONTANHA

SOS GAIA CONSCIENTE: ECOETRIX VIVENCIA NA MONTANHA: "ECOETRIX VIVENCIA NA MONTANHA ECOETRIX VIVENCIA NA MONTANHA CENTRO DE EDUCAÇÃO MULTIVERSAL, PERMACULTURA E RESGATE DAS TRADIÇÕES LOCAIS. Hor..."

segunda-feira, 25 de abril de 2011

A Visão Holística e o Momento Presente.

   Diante das últimas conquistas da micro-física na década de 80, não faz mais sentido questionar-se sobre a existência ou não existência de um "componente espiritual", na totalidade ontológica do ser humano,já se sabe  que o universo chamado "material" é imponderável em sua essência, o que estabelece,implicitamente a imponderabilidade do próprio corpo físico do homem.
     Para quem não conhece o assunto,ele soa com sabor dos contos de fada,sensação aliás ,que foi experimentada pela maioria dos físicos nas primeiras décadas do século XX, quando manifestaram uma total perplexidade, diante de  suas próprias descobertas.
     "Todas as minhas tentativas para adaptar os fundamentos  teóricos  da Física esse novo tipo de conhecimento fracassaram profundamente. Era como se o chão tivesse sido retirado de meus pés,e não houvesse  em qualquer outro lugar,uma base sólida sobre a qual pudesse construir algo...("Heisenberg)
       "...Não é possível que a naturaza seja assim tão absurda...(" Bohrn)
       Fritjof Capra em seu admirável livro "O Tao da Física",demonstrou numa série de colocações ,as analogias entre o pensamento científico moderno e a experiência mística  da antiguidade oriental, mormente o Hinduísmo,Budismo e Taoísmo.
      Mas não é só. Também o pensamento da remotíssima antiguidade egípcia não desconhecia  o princípio da unidade cósmica com base na presença infinita da luz, como sentenciaram Hermes Trismegistos e Pta-Hotep.
     A tendência holística de ("todo", " totalidade", abrangência conceptiva  da realidade) do momento, se estabelece como uma promessa de reabilitação da pesquisa filosófica em sua significação real, ou seja , não vinculada às dialéticas de caráter sociológico,que se constituiram no modismo das três últimas décadas.Apresenta-se agora como uma autêntica diretriz para a criação de um paradigma epistemológico, capaz de transcender de fato tudo que o pensamento humano conseguiu formular até aqui.
   Não se trata  mais de criar esquemas cognoscitivos baseados nas reflexões  de "A" ou de "B", mas de sintetizar toda experiência humana manifestada nos quatro frutos  fundamentais  da "árvore do conhecimento":a reflexão filosófica, a pesquisa científica, a experiência mística das tradições e a mensagem emocional das artes em suas multiplas manifestações.Esta possibilidade marca uma nova fase de concepção da vida e do universo, quebrando todas as barreiras que impedem a compreensão entre as diferentes culturas e dialéticas. Aquilo que correspondendo a precisão etmológica do termo, pode hoje, ser realizado de novo, através  da construção de pontes sobre todas as fronteiras do entendimento e do sentimento: Não existe mais a possibilidade, ou melhor, a necessidade de transferir-se para os territórios da "fé" ,as questões referentes às ansiedades metafísicas, próprias do ser humano.
       A culminância científica do momento,acontecia no corredor da micro-física com a conclusão de que o "observador interfere nos detalhes da observação , isto ,especificamente aplicado aos painéis  reveladores do comportamento das partículas sob aceleração ciclotrônica ,veio lançar por terra  todos os antigos esquemas formulados para "explicar o mundo", quer pelos cientistas, quer pelos filósofos. Chegou-se, afinal, a conclusão de que a verdadeira  atitude mística é aquela que mais se aproximou da verdade acerca  da fenomenologia cósmica, aquela que melhor conseguiu penetrar no âmago de tudo o que se encontra além do sensorialmente perceptível.
        Há porém ,"mística" e "Mística" e é aí onde reside o perigo de uma nova fragmentação,desta vez irreparável , já que  se o novo paradigma holístico imiscuir-se com temas redutivos , com roupagens  conceptualistas, onde são formulada "explicações científicas" para transcendental, tenderá fatalmente  a promover novas visões redutivas, anulando a sua importância de síntese de todo trabalho humano em busca da verdade.
        Várias instituições supra-religiosas, já despontaram no mundo, endossando esta nova posição.São as várias  escolas indianas da Yoga total, as organizações transcendentais da California , nos Estados Unidos, como o Instituto Esalem, a Findhorn, na Escócia e , principalmente a Arte Mahikari, do Japão  que além do trabalho terapêutico com a manipulação da "Luz da 7ª dimensão" vem  desenvolvendo uma pesquisa mundial para detectar o remotíssimo passado nos rendilhados insólitos do presente.

Alódio Tovar

segunda-feira, 14 de março de 2011

MENSAGEM DA ÁGUA, O PODER DA VIBRAÇÃO...




Masaru Emoto, cientista japonês, demonstrou como o efeito de determinados sons, palavras, pensamentos, sentimentos alteram a estrutura molecular da água.
A técnica consiste em expor a água a esses agentes, congelá-la e depois fotografar os cristais que se formam com o congelamento.




quarta-feira, 2 de março de 2011

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Amit Goswami-Responde no Programa Roda Viva

ENTREVISTA: FÍSICO QUÂNTICO AMIT GOSWAMI
1:14:20 - 3 anos atrás
O Roda Viva entrevista o físico nuclear indiano Amit Goswami, considerado um importante cientista da atualidade, ele tem instigado os meios acadêmicos com sua busca de uma ponte entre a ciência e a espiritualidade. Ele vive nos EUA, é PhD em física quântica e professor titular da Universidade de Física de Oregon. Há mais de 15 anos está envolvido em estudos que buscam construir o ponto de união entre a física quântica e a espiritualidade. Já foi rotulado de místico pela comunidade científica, e acalmou os críticos através de várias publicações técnicas a respeito de suas idéias. Em seu livro "O Universo Auto-Consciente" ele procura demonstrar que o universo é matematicamente inconsistente, e sem existência de um conjunto superior, no caso Deus. E diz que se esses estudos se desenvolverem, logo no início do terceiro milênio, Deus será objeto da ciência e não mais da religião.veja vídeo ao lado.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

É muito bom rir sempre...Ser feliz faz bem a Alma...


SEJA UM IDIOTA
(Arnaldo Jabor)

A idiotice é vital para a felicidade.
Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre.
Putz! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado?

Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins.
No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota!
Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você.
ignore o que o boçal do seu chefe disse. Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele.

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice.
Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.
Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça? hahahahahahahahaha!...
Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana?
Quanto tempo faz que você não vai ao cinema?

É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas.
E daí,o que elas farão se já não têm por que se desesperar? Desaprenderam a brincar.

Eu não quero alguém assim comigo. Você quer? Espero que não.
Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa.
Dura, densa, e bem ruim.
Brincar é legal. Entendeu?
Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço, não tomar chuva.
Pule corda!
Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte.
Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável.
Teste a teoria. Uma semaninha, para começar. Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são: passageiras.

Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...

Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!
Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?
A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios.
Por isso cante, chore, dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

PAI NOSSO-CHICO XAVIER...


Uma linda variação dessa belíssima mensagem altruísta!!!

Pai Nosso

Pai Nosso que estais nos céus,
Na luz dos sóis infinitos,
Pai de todos os Mitos
Deste mundo de escarcéus.

Santificado, Senhor,
Seja o teu nome sublime,
Que em todo o Universo exprime
Concórdia ternura e amor

Venha ao nosso coração
0 teu reino de bondade,
De paz e de claridade
Na estrada da redenção.

Cumpra-se o teu mandamento
Que não vacila e nem erra,
Nos Céus, como em toda a Terra
De luta e de sofrimento

Evitamos todo o mal,
Damos o pão no caminho,
Feito na luz, no carinho
Do pão espiritual.

Perdoamos, meu Senhor,
Os débitos tenebrosos,
De passados escabrosos,
De iniqüidade e de dor

Auxiliamos, também,
Nos sentimentos cristãos,
A amar nossos irmãos...
Que vivem longe do bem.

Com a proteção de Jesus,
Livra a nossa alma do erro,
Sobre o mundo de desterro,
Distante da vossa luz.

Que a nossa ideal igreja
seja o altar da Caridade,
Onde, se faça a vontade
Do vosso amor ... Assim seja

sábado, 8 de janeiro de 2011

Poesia que Nutre a Alma!!!



Faxina da Alma
Carlos Drummond de Andrade

Não importa onde você parou...
Em que momento da vida você cansou...
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
É renovar as esperanças na vida e o mais importante... acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?
Foi aprendizado...
Chorou muito?
Foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes?
É porque fechaste a porta até para os anjos...
Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da tua melhora...
Pois é...agora é hora de reiniciar...de pensar na luz...
De encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Um corte de cabelo arrojado...diferente?
Um novo curso...ou aquele velho desejo de aprender a pintar...
Desenhar...dominar o computador...
Ou qualquer outra coisa...
Olha quanto desafio...quanta coisa nova nesse mundão de meu deus te esperando.
Está se sentindo sozinho?
Besteira...tem tanta gente que você afastou com o seu "período de isolamento"...
Tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para "chegar" perto de você.
Quando nos trancamos na tristeza...
Nem nós mesmos nos suportamos... ficamos horríveis...
O mau humor vai comendo nosso fígado... até a boca fica amarga.
Recomeçar...hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar? Vá alto...sonhe alto...
Queira o melhor do melhor...
Queira coisas boas para a vida...
Pensando assim trazemos para nós aquilo que desejamos...
Se pensamos pequeno... coisas pequenas teremos...
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor...
O melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da faxina mental...
Joga fora tudo que te prende ao passado... ao mundinho de coisas tristes...
Fotos... peças de roupa, papel de bala, ingressos de cinema...
Bilhetes de viagens... e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados... jogue tudo fora...
Mas, principalmente, esvazie seu coração...
Fique pronto para a vida... para um novo amor...
Lembre-se somos apaixonáveis...
Somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...
Afinal de contas, nós somos o "amor" !

POSTAGEM EM DESTAQUE

Krishnamurti-Conhecimento com Essência Real